Curtindo o finalzinho de inverno que ainda me resta

Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e indicado um link para este blog)

Crédito de imagem: Bruno Santos

O inverno está chegando ao fim. Há quem esteja comemorando desde já. Como boa nortista que sou, adoro os dias ensolarados e quentes. No entanto, depois de quase 20 anos morando no sudeste, aprendi a apreciar as noites de frio, ainda mais depois que juntei meus trapinhos com meu “noivorido”.

Pois é, e é por isso que eu estou com esse sentimento ambíguo de contentamento e desolação. Por isso, resolvi dizer adeus ao frio de uma forma especial: aproveitando cada restinho dele. Como? as minhas dicas são simples:

  • Boa música;
  • Cobertor velhinho;
  • Bebida quentinha;
  • E “aquela” companhia do lado (mesmo que a melhor opção, ultimamente, seja você mesmo -a).

E, para quem é apaixonado, dentre outros estilos de música,  por uma classiquinha, como eu, selecionei algumas que certamente estarão embalando essas minhas últimas noites de iverno, aqui no sul de Minas. (Sei que meu norte querido também tem suas cruvianas de vez em quando, ainda mais para quem mora à beira de um rio). Lá vai então:

1ª da lista: Ária¹ “Sull’ aria” (Ópera “Le nozze di Figaro”), de Mozart

Curiosidade: Se você assistiu ao filme “Um sonho de Liberdade, talvez  esse som não lhe pareça estranho. Isso porque, em uma cena clássica do filme , Andy Dufresne (Tim Robbins)  invade a sala de som do presídio e a coloca para tocar, a fim de compartilhar com os seus companheiros de presídio seu sonho de liberdade. Lindo não?

2ª da lista: ária “Un bel di vedremo” ( Ópera “Mme. Butterfly”), de Puccini (na voz de Maria Callas)

Curiosidade: Em 1993, foi lançado o filme M. Butterfly, do diretor David Cronenberg (“A mosca” e “Scanners”). Inspirado na ópera de Puccini, o filme aborda a questão da  inadequação entre corpo e espírito. Conflito sugerido no próprio título:  “Butterfly” (borboleta, em inglês) remete à questão da metamorfose.  Além disso, o “M.” pode se referir tanto a “Madame” como a “Monsieur”. Sacaram? Vale a pena assistir.

3ª da lista: ária “All I ask of you” (Ópera ‘The Phantom of The Opera”). O vídeo abaixo é uma cena do filme, homônimo, de 2004. Indico o filme inteiro. É lindíssimo e perfeito para quem não tem a possibilidade de assistir a um espetáculo como esse.

Curiosidade: Essa ária ficou muito conhecida no Brasil, com a versão “É tudo que se quer”,  interpretada por Emílio Santiago e Verônica Sabino. Lembra-se?

4ª da lista: Czardas, de Vittorio Monti (por Joo Young)

5ª da lista: Ária “Der Hölle Rache”, (Ópera “A Flauta Mágica”, Mozart, na voz de Natalie Dessay)

Curiosidade: Essa ária se tornou muito popular no Brasil depois que a Chevrolet lançou o comercial do Kadett, na década de 90. Quem a interpretava era o nosso contratenor Edson Cordeiro. Lembrou?

Espero que tenham aprovado. Deixei muitas outras, que amo, de fora por causa do espaço. Mas já deu para sentir o clima esquentar…Hehe!  Um ótimo finalzinho de inverno a todos. Aproveitem-no como bem entenderem. Hehe!

¹ Ária:  Uma Ária, no sentido restrito, é qualquer composição musical escrita para um cantor solista. Geralmente  usa-se o termo “Ária” quando está contida dentro de uma obra maior, como uma ópera, por exemplo. Também pode ser destinada a mais de um cantor: para dois cantores, chama-se duo ou dueto; para três, trio ou terceto, para quatro, quarteto e assim sucessivamente.

3 Comentários

  1. LISON COSTA said,

    setembro 6, 2011 às 1:54 pm

    Que Post Fantástico!
    Amiga AMANDA PAZ:
    O seu Post é nota mil!
    Emoldurado por vídeos musicais muito especiais, nos remete a ficar refletindo sobre o sentar-se bem próximo a uma lareira e ou de repente até mesmo visualizar uma fogueira nalgum lugar muito especial.
    Parabenizo-a pela excelente pesquisa para nos presentear com mais um artigo de qualidade e conteúdo!
    Contagiou. Mexeu. Valeu.
    Parabéns por mais um magnífico Post!
    Abraços,
    LISON.

  2. setembro 6, 2011 às 3:54 pm

    Olá novamente meu grande amigo,

    Sabia que você ia gostar da seleção. Eu aprecio diversos estilos musicais, mas acredito que uma classiquinha, tocada baixinho, numa noite de frio tem seu valor. Ainda mais se acompanhada das outras dicas que deixei lá no post.
    Aí no norte eu sei que faz um calor de rachar caroço de mamona…rs. Mas sei também que às vezes aparece uma cruviana de arrepiar os ossos. Mas o frio é só uma desculpa bem esfarrapada. Para ouvir música não tem hora certa.

  3. novembro 13, 2011 às 3:08 am

    […] clássicas favoritas, qnteriormente, acho que esta dívida já está paga (é só acessar o link https://chadecasinha.wordpress.com/2011/09/04/curtindo-o-finalzinho-de-inverno-que-ainda-me-resta/ e se deleitar). Espero que tenham gostado. Eu, pelo menos, adorei participar de mais esta delícia […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: